Buscar
Seja bem-vindo à Editora Revan Já é cadastrado? clique aqui
Minhas Compras 0 itens
Você está em:

A DEGOLA DO PM PELOS SEM TERRA EM PORTO ALEGRE - De como a mídia fabrica e impõe uma imagem

Foto
Passe o mouse para ativar o zoom Indique o produto
  • Compartilhe:
  • Avalie:
Comprar R$ 43,00
ou 5X de R$ 8,60 sem juros
  • 1X de R$ 43,00 sem juros
  • 2X de R$ 21,50 sem juros
  • 3X de R$ 14,33 sem juros
  • 4X de R$ 10,75 sem juros
  • 5X de R$ 8,60 sem juros

Ficha Técnica

Autor(es): DEBORA FRANCO LERRER
ISBN: 9788571063311
Idioma: Português
Edição: 1ª. Edição
Encadernação: BROCHURA
Número de Páginas: 244
Ano de Edição: 2005
Formato: 21 X 14

Sinopse

Em A"degola" do PM pelos sem-terra em Porto Alegre – De como a mídia fabrica e impõe uma imagem, o objetivo principal é evidenciar o papel dos jornalistas na construção de uma memória ficcional sobre o conflito entre trabalhadores sem-terra e soldados da Brigada Militar no centro de Porto Alegre, em 8 de agosto de 1990, do qual resultaram a morte "por degola à foice" de um policial, o ferimento à bala de uma sem-terra, dezenas de feridos e várias condenações de sem-terras à prisão.

A pesquisa para este trabalho baseou-se na consulta dos 28 volumes dos autos do processo criminal instaurado para apurar a autoria do assassinato do soldado Valdeci de Abreu Lopes; na edição extra impressa pelo Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, em agosto de 1990, conhecida como Versão dos Jornalista; em matérias de veículos da "grande" imprensa – os jornais Zero Hora e O Estado de S.Paulo e a revista Veja – e nos depoimentos de jornalistas, advogados, militantes do MST, membros da Brigada Militar e ativistas de direitos humanos.

A versão difundida pela imprensa brasileira na época é desconstruída, ao mesmo tempo em que se procura refletir sobre a ambigüidade do papel dos jornalistas nas lutas sociais – mais especificamente, na luta pela reforma agrária. Ao mesmo tempo em que foram responsáveis pela versão que ficou impressa nas páginas e na memória pública, alguns jornalistas foram os autores de sua desmontagem. 

Ao desconstruir a versão da mídia sobre este trauma que abalou cidadãos porto-alegrenses, este livro enquadra uma sociedade que, apesar de todas as suas lutas, continua a reproduzir um padrão de desigualdade e discriminação. Nela, grande parte da população tem seus direitos negados muitas vezes por ser simplesmente impedida de expressar seu ponto de vista, como é o caso de Elenir, a mulher baleada na Esquina Democrática, mas condenada por ser "de qualquer modo" responsável pela morte de seu provável agressor.

 

Sobre a autora: Débora Franco Lerrer é jornalista, com Mestrado na Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, e doutoranda no Curso de Pós-graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Este é seu segundo livro; o primeiro, Reforma Agrária: os caminhos do impasse, foi publicado em 2003 pela Editora Garçoni.

Certificações
Formas de pagamento
  • Crédito VISA
  • Crédito MasterCard
  • Web Boleto
  • Elo
  • Diners
  • Discover
  • American Express
Entre em contato
vendas@revan.com.br
(21) 2502-74-95 - (21) 2502-8697 - (21) 2504-5614
(21) 2504-5693
Copyright ©2018 Editora Revan. Todos os direitos reservados.

Newsletter